top of page
  • Paranews

Haddad diz que Tebet é 'muito qualificada' e não vê 'dificuldade' em ela assumir Ministério do Plane


Futuro ministro da Fazenda se reuniu com Lula para discutir estruturação da pasta. Senadora deve ter encontro com presidente eleito na terça-feira (27).


O futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta segunda-feira (26) que a senadora Simone Tebet (MDB-MS) é "muito qualificada" e não vê "dificuldade" em ela assumir o Ministério do Planejamento.


"A Simone é uma política muito qualificada, é uma pessoa que sabe trabalhar em equipe, é uma pessoa enfim que estava concorrendo à presidência da República, com muita respeitabilidade", disse Haddad ao deixar o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde funciona o gabinete da equipe de transição.


Não vejo nenhuma dificuldade em relação a isso [ela assumir o Planejamento]. Muito pelo contrário, acho que é uma pessoa que somou durante a campanha", completou Haddad.

Mais cedo, Haddad se reuniu com o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para discutir a estruturação da pasta. Nesta terça-feira (27), Tebet vai se encontrar com Lula.

Segundo apontou o blog da Andreia Sadi, integrantes do partido de Tebet, o MDB, querem saber, por exemplo, se é possível turbinar o Ministério do Planejamento com os bancos públicos Banco do Brasil e Caixa Ecônomica Federal, além do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos do governo).

No entanto, o governo eleito descarta incluir os bancos públicos sob o guarda-chuva do Planejamento.

A previsão é que o BB e a Caixa fiquem no Ministério da Fazenda. Já o BNDES irá para o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Atualmente, todos os bancos públicos estão sob o Ministério da Economia.


Questionado se concordaria com a mudança do BB e da Caixa para o Planejamento, Haddad disse que desconhece o assunto e não poderia se manifestar.

"Eu não posso nem me manifestar, porque se fosse um pleito que tivesse sido confirmado, eu ia me manifestar", disse.

"Eu conversei hoje pela manhã com ele (Lula), nós chegamos praticamente juntos [a Brasília], eu perguntei em que pé estavam as negociações e esse tema não apareceu, inclusive depois que eu perguntei", completou.

O MDB teme que, pela estrutura atual do Ministério do Planejamento, a pasta acabará cuidando apenas do Orçamento. A legenda busca um ministério com mais atribuições.


Apoio a Tebet


Haddad tem sido um dos principais defensores no novo governo a respeito da necessidade de se indicar Simone Tebet ao governo.

Ele, contudo, defendia inicialmente que um ex-governador assumisse o Planejamento, devido à experiência com a gestão de orçamento públicos.

Mas os nomes indicados por ele ao presidente Lula acabaram sendo anunciados para outras funções no governo, explicou.


"Quando o presidente me perguntou sobre o perfil do ministro do Planejamento, eu entendi, isso três semanas atrás, que a gente devia sondar ex-governadores que tinham arrumado a casa", afirmou.

Segundo Haddad, foram sondados os nomes de Rui Costa, Wellington Dias, Camilo Santana, Jorge Viana e Renan Filho. Porém, os nomes foram rareando, com os políticos indicados assumindo outras funções no governo.


"O Rui foi pra Casa Civil, o Camilo pra Educação, o Wellington pro MDS e aí foi rareando os ex-governadores que poderiam asusmir a pasta. Aí surgiu o nome da Simone que está sendo tratado diretamente pelo presidente e vamos aguardar esta semana", disse.

Haddad disse, ainda, que o economista Andre Lara Resende teria sido sondado pelo presidente Lula para ser ministro do Planejamento, mas declinou.

Persio Arida, outro economista que fez parte da equipe de transiçaõ do governo eleito, já "na largada" teria dito que não assumiria cargo no governo, de acordo com Haddad.


Fonte: G1

29 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page