• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon

Município de Ponta de Pedras comemora 143 Anos

Quinta, 29/04/2021, 22:07:55 - Belém - Pará

ponta de pedras.jpg

O município de Ponta de Pedras, berço de  Dalcídio Jurandir, completa hoje, 30 de abril de 2021, 143 anos de emancipação. As origens do Município remontam o século XVIII, com a instalação dos padres mercedários na aldeia dos Muanás. Eles achavam à época que, na então Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Cachoeira (atual cidade de Cachoeira do Arari), onde se encontravam, não podiam desenvolver seus trabalhos, devido à existência de propriedades particulares, então seguiram para a localidade que os padres chamaram inicialmente de Mangabeiras, pela proximidade de uma praia com o mesmo nome, até ser alterada para Ponta de Pedras, devido as pedras existentes no local, elevando à condição de Freguesia em 1737. Permaneceria Freguesia ligada em 1833 ao agora Município de Cachoeira, e só em 18 de abril de 1877, se tornaria Município de Ponta de Pedras. 

 

Após a Revolução de 1930, a 27 de dezembro daquele ano, Magalhães Barata extinguiu os municípios de Ponta de Pedras e Cachoeira, criando um novo, denominado Itaguari, mas 8 anos depois voltaria a Município novamente como Ponta de Pedras.

 

Na década de 50 o Município compunha-se de dois distritos: Ponta de Pedras e Santa Cruz e, atualmente, é formado apenas pelo distrito-sede. Na cidade nasceu em 10 de janeiro de 1909 o grande escritor paraense Dalcídio Jurandir, que teria o Marajó como cenário principal em três de seus romances: "Chove nos Campos de Cachoeira" de 1941, "Marajó" de 1947 e "Três Casos e um Rio" de 1958, publicações que mostraram não só as paisagens, mas o modo de vida da Ilha descritos por um legítimo marajoara.