Evandro Corrêa Comunicações

Atualidades

Tucuruí, 01/12/2017 às 07:05

EM ÁUDIOS, SUPOSTO JUIZ CHAMA PROMOTORES DE INÚTEIS E DIZ QUE AÇÃO QUE AFASTOU PREFEITO É “CAPENGA” E “SEM PROVAS”. “ Eu tô doido pra afastar mais um prefeito”.

Da Redação

Em áudios que viralizaram nas redes sociais em Tucuruí, uma conversa entre um suposto juiz e promotores narra os bastidores da sentença que afastou do cargo o prefeito do município, Artur Brito. Na conversa, (aparentemente dentro do fórum, um juiz (não identificado), conversa animadamente com advogados e promotores. Em tom de galhofa, o juiz se queixa de advogados que teriam reclamado que ele estaria de férias na data do afastamento do prefeito. O suposto juiz fala também, com zombaria, que a ação que ação que afastou o prefeito Artur Brito foi feita por três promotores inúteis, “que só sabem perturbar os outros”.

No decorrer da conversa, em meio a gargalhadas e comentários jocosos, o suposto juiz diz que a ação que afastou o prefeito é “capenga” e “sem nenhuma prova”. O suposto juiz diz também que quando retornou de suas férias já teria encontrado “essa porcaria” (se referindo a ação dos promotores pedindo o afastamento do prefeito)

Em dado momento da conversa, o suposto juiz diz que durante as férias não quer saber de prefeito morto e sim de “dormir e comer como um nababo”.  Em um dos trechos da gravação, o suposto juiz diz que está “doido pra afastar mais um prefeito”. “Tem mais algum prefeito da região pra gente afastar ai dr. Charles? Pode fazer de qualquer jeito.” pergunta o suposto juiz na gravação. O suposto juiz diz ainda que quando retornou das férias e encontrou a ação, sem provas e sem fundamentação, preferia estar de férias.

Apesar do áudio da gravação estar bastante nítido, somente uma perícia irá atestar sua autenticidade. Na gravação, o suposto juiz se refere a uma pessoa de nome Charles. 

O Portal Pará News está tentando contato com o Tribunal de Justiça do Estado do Pará para se manifestar sobre o assunto. 

Leia abaixo a transcrição de parte da conversa:

Juiz – Quando esses três promotores inúteis que não fazem nada da vida a não ser causar problemas pros outros fizeram essa petiçãozinha “capenga” e “sem provas” eu queria estar de férias.

Interlocutor 1 – Decisão de duas laudas.

Interlocutor 3 -  Eu voltei das férias com essa porcaria na mão.

Interlocutor 4 – (advogada) essa bomba.

Juiz- (se queixando de advogado) se vc quiser dizer que eu dei uma decisão sem fundamentação e sem provas, é uma coisa.!! Agora dizer que eu tô de férias bicho.

Interlocutor 1 – qualquer outra coisa.

Juiz- doido cara.

Interlocutor 3 – (promotor) eu acho vergonhoso pro advogado ficar atacando as autoridades.

Juiz – Bicho, nas minhas férias eu não quero saber de prefeito morto ou vivo. Eu quero saber de comer e dormir feito um nababo. Doido rapaz.

Advogada – risadas.

Interlocutor 1 – mas existe um fundo político nisso

Juiz – Até audiência eu fiz em Tucuruí quando voltei de férias. Lá, aqui não.

Juiz- Rapaz. Eu tô doido pra afastar um prefeito. Charles, num tem mais nenhum pra gente afastar ai não. Faz uma (ação) ai qualquer pra gente afastar qualquer prefeito da região.

Risadas de todos

Advogada – Ainda sobrou algum prefeito por aqui?

Interlocutor 2- Eu queria ser prefeito uma semana

Juiz – se fosse eu deixava pro Charles. Seria meu secretário de administração.

Risadas de todos.

Interlocutor 1 –  Dr. todo dia eu amanheço e canto (cantando) “mamãe não quero ser prefeito. Pode ser que eu seja eleito. E alguém pode querer me assassinar”.

Risadas de todos

comentário

Comentar