Anuncie

Saúde

Belém, 13/02/2018 às 11:36

Baile de Carnaval anima crianças no Oncológico Infantil

Quando os primeiros chapéus coloridos começaram a surgir e o som dos tambores passou a ecoar pelos corredores do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, portas dos quartos começaram a se abrir revelando rostos curiosos para ver que movimento diferente era aquele.

Toda aquela animação vinha do Arraial do Pavulagem que, assim como faz em seus cortejos pelas ruas de Belém, literalmente arrastou as crianças e adolescentes em tratamento no Oncológico Infantil, para o tradicional Baile de Carnaval da unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Fantasiados como super-heróis, personagens de histórias encantadas ou simplesmente vestindo roupas engraçadas e coloridas, as crianças se divertiram até a última música tocar. Foi o caso da pequena G.S.F, de cinco anos, que surpreendeu até a mãe Antônia Falcão com os pedidos para ir à festinha. “Quando chegamos aqui, ela não falava com ninguém. Hoje ela é outra criança, novamente feliz e foi maravilhoso poder ver a alegria dela se divertindo com outras crianças”, disse ela que acompanha a filha em tratamento na unidade, desde dezembro de 2017.

Além da mãe, outra pessoa que recebeu um pedido especial da pequena usuária, foi a terapeuta ocupacional do Oncológico Infantil, Suzana Loureiro. “Para nós que estamos acompanhando essas crianças de perto, vê-las participar de nossas atividades já é gratificante. Mas ela está passando por um trabalho de reabilitação da mobilidade funcional, e ouvir ela nos convidar para dançar foi emocionante para todos nós”, contou a colaboradora.

Quando as luzes da brinquedoteca se apagaram, um folião com roupa de palhaço e capa de super-herói, ainda resistia em ir embora. Era a primeira festa de carnaval de J.P.N, de três anos, que chegou Parauapebas, com a mãe Márcia do Nascimento, há duas semanas para a realização de exames.’Nunca saímos para um baile de Carnaval. Ele se divertiu muito’, disse a mãe enquanto chamava o filho repetidamente para ir embora.

Sou Super-herói

Super-homem, Mulher-maravilha, Homem-aranha, a dupla Luigi e Mário. Esses e outros personagens que distraem as crianças em tratamento no Oncológico Infantil, seja na cabeceira da cama ou no videogame, também estiveram no Baile de Carnaval da unidade.

Eles estavam no centro das camisas e nas fantasias dos colaboradores que corresponderam ao convite para participarem do Projeto Sou Super-herói, trocando os uniformes de trabalho e despertando a imaginação das crianças.

“Nossos usuários acabam tendo internações prolongadas. Então essas programações são essenciais para que eles tenham momentos de alegria, possam brincar e lembrar que ainda são crianças”, explicou a coordenadora de Humanização do Oncológico Infantil, Paula Viana.

 

Carnaval com segurança

O Baile de Carnaval realizado na tarde desta sexta-feira, 09/02, envolveu principalmente as crianças internadas no Oncológico Infantil. Mas, durante a manhã, o assunto Carnaval já era o tema principal da Roda de Conversa com mães e pais que estavam na sala de espera para atendimento na Unidade de Atendimento à Intercorrências – UAI do hospital.

A Roda de Conversa foi conduzida pela coordenadora de Oncologia Pediátrica do Oncológico Infantil, Alayde Vieira, que falou sobre os cuidados necessários para o período de Carnaval, principalmente em relação à alimentação, chuvas, proteção contra mosquitos e atendimento da UAI, que funcionará normalmente no feriado. “Sempre estaremos por aqui passando informações, orientações para fazermos esse cuidado das crianças em conjunto com os pais e mães”, explicou a médica oncologista.

As Rodas de Conversa serão realizadas mensalmente ou sempre que a médica tiver um assunto importante para tratar, e o próximo tema já está definido: leitura de hemograma.

Fonte: Zeca news

comentário

Comentar