Anuncie

Cidades

Belém, 09/01/2018 às 11:19

Denúncia : OAB do Rio de Janeiro pagou confecção de 17 mil agendas para OAB do Pará

O presidente do Sindicato dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro, Alvaro Quintão denunciou hoje (8) que o presidente da OAB do seu estado, Felipe Santa Cruz, gastou R$120 mil dos cofres da entidade na confecção de 17 mil agendas para distribuição aos advogados inscritos na seccional, mas do Pará. “Essa atitude é um escândalo porque os advogados do Rio pagam uma das mais caras anuidades do pais e o dinheiro suado desse mesmo advogado vem sendo utilizado para Santa Cruz ganhar o apoio dos demais dirigentes para um projeto pessoal que é de se eleger presidente do Conselho Federal da entidade”, afirmou Quintao.

O presidente do Sindicato dos Advogados lamentou que Santa Cruz utilize os recursos obtidos com as anualidades dos advogados para atingir projetos de interesse estritamente eleitoral. Quintão lembrou que recentemente o Sindicato dos Advogados divulgou os gastos milionários da OAB-RJ com contratos com empresas de serviços que a maioria da categoria não tinha o mínimo conhecimento. “Um gasto milionário e desnecessário que tem um único objetivo: o cargo de presidente nacional da entidade”.

 

Impressionados com a atitude da OAB-RJ, a corregedora da Seccional do Pará e outros conselheiros estaduais da entidade irão protocolar uma representação no Conselho Federal da OAB contra os presidentes da Seccionais do Pará,  Alberto Campos e do Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz. No documento, os advogados vão pedir a punição disciplinar e a inelegibilidade dos dois para concorrerem a qualquer cargo da OAB nas próximas eleições.

 

O ex-presidente da OAB do Pará e atual conselheiro federal, Jarbas Vasconcelos também ficou impressionado com a atitude de Santa Cruz. "Quem quer ser candidato a presidente nacional da OAB deve dar o exemplo. A doação de 17 mil agendas a advogados paraenses pela seccional da OAB carioca não tem previsão legal". Segundo Vasconcelos, o ato só encontra explicação no fato de Felipe Santa Cruz ser candidato a presidente do Conselho Federal da entidade maior dos advogados.

 

A eleição para o Conselho Federal é indireta e a possível compra de voto, de um presidente de seccional por outro, deve ser apurada, pois se verdadeira, o sistema deverá ser revisto, concluiu Jarbas Vasconcelos.

 

Em nota conjunta, OAB-RJ e OAB-PA negam irregularidade.

 

Sobre as informações envolvendo a aquisição de agendas pela OAB/RJ e pela OAB/PA, é importante esclarecer:

 

1) Não há qualquer irregularidade na ação, que ocorreu dentro do sistema integrado de parcerias da OAB, visando reduzir custos junto a fornecedores e ampliar ações da entidade;

 

2) Importante informar que, ao contrário do que levianamente declarado, os valores desta aquisição não saíram da anuidade das Seccionais, mas integralmente de verbas de patrocínio;

 

3) A parceria entre as duas Seccionais já dura mais de dez anos, tendo resultado na aquisição conjunta de tokens para a advocacia, treinamento intensivo, modernização de salas pelo projeto Século 21 e cursos de Processo Judicial Eletrônico, entre outras tantas conquistas pautadas no princípio da solidariedade institucional;

 

4) As entidades criticam este ataque de cunho puramente eleitoral, que ignora a real situação da advocacia. Ressaltam que as duas Seccionais vêm se esforçando em muitos projetos para reduzir o impacto da crise econômica que se abateu sobre a advocacia. Tal situação só foi possibilitada por rigoroso controle de gastos e por iniciativas conjuntas e solidárias como a que ora, injustamente, se busca atacar em razão de lutas eleitoreiras e conjunturais;

 

5) Esclarecemos que tomaremos as medidas cabíveis, inclusive judiciais, para que o denuncismo tolo e mal intencionado não venha a prejudicar o concreto trabalho de engrandecimento da advocacia fluminense e paraense.

 

ALBERTO CAMPOS

Presidente OAB/PA

 

FELIPE SANTA CRUZ

Presidente OAB/RJ

comentário

Comentar