Evandro Corrêa Comunicações

Justiça

Brasília, 13/09/2017 às 00:21

Fonte : Agencia Brasil

Em aúdio, Joesley diz que tem 5 ministros no bolso e relata caso amoroso de José Eduardo Cardozo com Carmem Lucia.

A divulgação de conteúdo considerado "bombástico", em se tratando da recuperação de cerca de quatro horas de gravações dos áudios do empresário goiano #Joesley Batista, que acabaram sendo periciados pela Polícia Federal, mesmo após a tentativa de que fossem apagados do gravador do dono de uma das maiores empresas na venda de carnes processadas em todo o mundo, a JBS, elevou os riscos inerentes a uma possível cassação do acordo de colaboração premiada para patamares ainda mais altos.

O empresário goiano havia firmado um acordo de colaboração premiada juntamente à Procuradoria-Geral da República, que é comandada até o dia 17 de setembro, pelo procurador-geral da República e chefe do Ministério Público Federal, Rodrigo Janot, considerado um grande desafeto do presidente da República, Michel Temer.

Novos áudios colocam acordo de delação em risco

O conteúdo recuperado de novos áudios atribuídos ao empresário Joesley Batista e a um dos executivos da empresa JBS, Ricardo Saud, podem comprometer ainda mais os acordos de colaboração premiada selados entre os empresários e a Procuradoria-Geral da República, além de envolver ministros do Supremo Tribunal Federal (#STF).

 

Em um dos grampos entregues na última semana e que havia sido periciado pelos investigadores da Polícia Federal, Joesley Batista e Ricardo Saud conversam a respeito da proximidade, em relação a uma conversa que teria sido gravada em diálogo com o ex-ministro petista da Justiça, durante gestão de Dilma Rousseff na Presidência da República, José Eduardo Cardozo. De acordo com o conteúdo dos áudios periciados, Joesley e Saud conversam sobre como poderiam atrair o ex-ministro Cardozo para um encontro, de modo que pudessem afirmar que seria para a contratação de serviços advocatícios, como pretexto.

Entretanto, o principal motivo para que se concretizasse a reunião, seria a tentativa de "arrancar" informações consideradas preciosas, em relação ao ministros do Supremo. Na gravação, Ricardo Saud teria dito a Joesley Batista que ouvira de Cardozo que ele "teria cinco ministros do Supremo no bolso". O mais inusitado, é que Joesley Batista e Ricardo Saud se referiram, em se tratando da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, por meio de uma "piada". Eles acabaram revelando uma suposta proximidade entre o ex-ministro José Eduardo Cardozo, a ex-presidente Dilma Rousseff e a atual presidente do Supremo, Cármen Lúcia. Na conversa, os dois dizem que Carmem Lúcia teria tido um caso amoroso com José Eduardo Cardozo.

Veja abaixo a transcrição da conversa do áudio que viralizou nas redes sócias:

Ele não tinha intimidade com a Dilma? Intimidade? Eu vou te contar. Eu achei que os três tava fazendo suruba.”

“Porque ele falou da Cármen Lúcia. Que ele se encontra com a Cármen Lúcia, que vai lá falar […] com a Dilma, que tá lá os três juntos…”

“Ah, então ele tem mesmo essa intimidade? Então ele entrevistou o cara. não é mentira não. Foi, ficou falando… Eu contei pra ele… do escritório, falando da conta…”

Josley: “Que escritório?”

Saud: “Do Marco Aurélio. […] Mas e aí? O que que a Dilma falou?”

“Não. Foi nada disso. Recebeu a Cármen Lúcia lá e tal. Aí eu contei pra ele do Zé e ele mudou o assunto. […] Mas falaram disso?”

“Foi suruba dos três. Isso eu quero ouvir. Aí… Meu, o cara me empurrava, nós falando em putaria… Meu, esse cara é louco!”

Joesley: “Você mostrou a fita?”

Saud: “Não, foi mostrando e […] Isso dá cadeia! Isso prende ele amanhã!”

“Isso eles prende Eduardo amanhã! Melhor não!”

Joesley: “Eles, o Supremo?”

Saud: “É. Deixa eu ver de novo. E prende você também…”

“Você fica falando de suruba aí, isso não faça mais não. É pra eu te orientar. Você não fala isso mais nunca.”

“Isso é a própria presidente da República e a presidente do Supremo, e ele tá fazendo su… Você tem noção do que você falou?!”

“Você tem noção do que você falou? A presidente do Brasil, a presidente do Supremo e o ministro da Justiça fazendo suruba?!“

[…] “Você não pode. Nós temos que tirar. Temos que usar isso contra o Zé Eduardo.'”

comentário

Comentar